Ciao! Quem já veio a Milão sabe que dentro da Galleria Vittorio Emanuele II, no coração da cidade é impossível não perceber um montinho de turistas felizes fotografando sobre uma parte do mosaico do chão. E hoje vamos falar sobre esse famoso mosaico representando um touro, que foi inserido para fins decorativos como um símbolo da cidade de Turim, juntamente com outras figuras ligadas às cidades de Roma, Florença e, claro, Milão.

O costume supersticioso consiste em fazer três giros de 360​​° com o calcanhar direito colocado logo acima do, digamos… genitais do animal. Todos os dias, milhares de pessoas fazem fila para realizar esse ritual como um gesto de sorte, parecido com aquele de jogar uma moeda de costas na Fontana di Trevi de Roma. De acordo com várias antigas lendas, para as mulheres, em particular, o touro tinha poderes relacionados à fertilidade e, no século XIX, era normal vê-las tocando seus genitais com as mãos ou os pés descalços. Para os homens, em vez disso, era um símbolo de força e vigor.

Touro da Galleria Vittorio Emanuele

A origem dessa crença parece ser muito antiga, talvez pagã. Segundo outras teorias, esse gesto nasceu como um sinal de afronta em relação à cidade de Turim, considerada rival de Milão no século XIX. O que poucas pessoas sabem, no entanto, é que, segundo ainda uma outra lenda, a rotação só traz boa sorte se feita à meia-noite de 31 de dezembro e no calcanhar do pé direito. Na dúvida não custa fazer sempre que estivermos na frente dele. 

Essa tradição milanesa leva, com o passar do tempo, à deterioração do mosaico e, consequentemente, exige diferentes manutenções no piso e a substituição das peças que o compõem. Coitado do touro…

E você? Já pisou no touro da Galleria? Antes de tudo é uma tradição bem bacana que sempre atrai bastante curiosos. Nós adoramos!


Que tal uma foto profissional como lembrança da sua visita a Galleria, inclusive pisando no touro? Fale conosco! Clique aqui para saber mais.

Write A Comment