Difícil pensar em alguma obra do Leonardo da Vinci nunca vista não é mesmo? Bom, em homenagem ao 500º aniversário da morte do filho adotivo de Milão (como é sempre chamado por aqui), o Castello Sforzesco liberou a visitação uma obra inacabada do mestre nunca vista antes que fomos visitar e contamos para você:

Tudo começa com a Sala delle Asse que foi aberta após um longo trabalho de seis anos de restauro ainda não finalizado que ficará aberta apenas até janeiro de 2020. A excepcionalidade reside na sua decoração pitoresca: Leonardo trabalhou lá em 1498 para Ludovico il Moro, pouco depois de terminar a Última Ceia, mas o salão sofreu ao longo do tempo muitas alterações e suas paredes foram retocadas e retocadas de novo e de novo, cobertas até com cal branco. Mesmo assim, é particularmente fascinante descobrir sua história: em uma espécie de pequeno anfiteatro uma instalação multimídia “Sob a sombra do mouro”, admiramos de perto a raiz extraordinária desenhada em carvão na base de uma grande pérgola de dezoito amoreiras, amarradas com cordas, que se entrelaçam na abóbada do salão sustentando um brasão de armas e placas Sforza. Ao mesmo tempo os traços, recentemente descobertos, de um desenho preparatório de Leonardo, que certamente teve a idéia de transformar a sala em uma gigantesca ilusão de ótica.

Deixando a Sala delle Asse, na Sala dei Ducali encontramos uma seleção de desenhos originais de Leonardo da Vinci e outros mestres da Renascença, escolhidos para mostrar as ligações entre a cultura figurativa da época e os detalhes da decoração naturalista e paisagística da Sala delle Asse. É uma exposição pequena e preciosa, intitulada “Leonardo entre Natureza, Arte e Ciência”: detalhes e detalhes capturam nossa atenção, como os estudos da vida de um pântano dourado e uma anêmona de madeira. Dada a delicadeza das obras feitas em papel, a exposição permanecerá aberta ao público por apenas três meses, até o dia 18 de agosto de 2019. 

Indo adiante, está a Sala da Capela, onde se pode admirar uma pintura maravilhosa que aos olhos leigos como os nossos poderia ser também de Leonardo da Vinci: é a “Madonna Lia” atribuída a Francesco Galli, conhecido como napolitano, executado em 1495. Olhe atrás da figura da Madonna: à esquerda, você encontrará o Castelo Sforza. Que é facilmente reconhecível, graças às suas torres de canto cilíndricos.

“Madonna Lia” atribuída a Francesco Galli

Na sequência a terceira parte da exposição temporária. Em uma nova instalação multimídia, “Leonardo em Milão”, instalada na primeira parte da Sala Verde, é o “próprio Leonardo” quem relata a cidade de seu tempo, entre 1482 e 1512 em um holograma do Mestre dialogando com seu aluno Cesare da Sesto. Assim, descobrimos eventos e detalhes da vida de uma cidade, que, naqueles dias, perdia apenas para Paris por população. Muito legal ouvir a história da igreja de São Francisco Grande (hoje desaparecida), saber onde morava Leonardo e conhecer o grandioso monumento equestre em homenagem a Francesco Sforza, que Leonardo estava planejando. Esse cavalo nunca foi finalizado, mas existe um em sua homenagem (leia aqui sobre ele).

Neste momento podemos ir para os andares superiores, descobrir as outras coleções do Castello Sforzesco, inclusive o trabalho de outro grande mestre como a Pietà Rondanini de Michelangelo (todas incluídas no mesmo ingresso) ou atravessar o pátio principal (e foi o que fizemos) onde está a “Pergola di Leonardo”, uma reprodução em escala 1:2 da gigantesca decoração da Sala delle Asse. Terminamos explicando por que essas árvores foram escolhidas por Leonardo: na época do Mestre eram as árvores necessárias para criar bichos-da-seda e também porque seu nome científico é Morus e a decoração foi encomendada por … Ludovico il Moro. 

INFORMAÇÕES

Sotto l’ombra del Moro. La Sala delle Asse Sob a sombra do mouro
16 maio 2019 – 12 janeiro 2020 

Leonardo tra Natura, Arte e Scienza Leonardo entre Natureza, Arte e Ciência
16 maio 2019 – 18 agosto 2019 

Leonardo a Milano Leonardo em Milão
16 maio 2019 – 12 janeiro 2020

Castelo: aberto das 7h às 19.30 de segunda a domingo. 

Museu: aberto das 9h às 17.30 de terça a domingo – com última entrada até as 17h e a bilheteria fecha as 16h30. No primeiro domingo do mês, o valor do ingresso é reduzido a €5 e o Museu de Arte Antiga, que inclui a rota “Leonardo mai visto” (Leonardo nunca visto), ficará excepcionalmente aberto até às 19h (a bilheteira fecha às 18h30).

O ingresso é único para os Museus do Castelo e para as exposições e iniciativas do programa “Leonardo mai visto” com valores de 10,00€ preço total, 8,00€ reduzido para idade de 18 a 25 anos e mais de 65 anos.

É possível comprar o bilhete na hora ou pelo site https://milano.midaticket.it/Event/7/Dates

Write A Comment